Brainsharing

3 dicas de ouro que vão fazer seu pitch ganhar um Oscar

Um pitch vencedor tem que ser igual discurso do Oscar: seguir um roteiro inteligente e preciso, com boas sacadas e uma pitada de humor e drama.

Medo de falar em público, dificuldade de gerar empatia ou desconhecer com profundidade seu público são coisas que podem tirar todo o brilho do seu momento. 

Posso estar falando da premiação do Oscar ou algo do gênero, mas na verdade me refiro ao mundo dos negócios. 

Saber lidar com essas dificuldades é o primeiro passo, como mencionei na primeira parte deste artigo sobre como elaborar o pitch perfeito

Mas tão importante quanto saber dizer o óbvio com profundidade nos poucos minutos que você tem durante um pitch, é saber o que falar sobre o seu negócio. 

E o que eu chamo de “auto curadoria” não pode ser aleatória. 

Para merecer um Oscar, seu pitch tem que ter um roteiro inteligente, preciso, mas não engessado, com boas sacadas e uma pitada, na medida, de humor e drama.

Por isso compartilho uma técnica que desenvolvi ao longo da minha jornada como empreendedor e comunicador, além de ferramentas e métodos que vão ajudar a destacar o melhor sobre o seu negócio.

giphy

E o Oscar vai para: o pitch que seguir essas dicas!

1 – Faça uma lista

A primeira dica importante para você que ainda está com muitas dúvidas sobre como vai começar a desenvolver o seu pitch é criar uma lista com as dez principais informações sobre o seu negócio.

Durante quase duas décadas como empreendedor desenvolvi uma técnica simples, para ajudar a compor um conteúdo realmente relevante para apresentações, discursos ou pitches.  

Esta lista tem que ser composta por coisas que são realmente importantes e que a sua audiência não pode deixar de saber sobre a sua startup.

Faça essa lista e depois agrupe três ou quatro informações básicas, ou seja, coisas que as pessoas realmente não podem deixar de saber, levando em consideração:

  1. Coisas que a sua audiência realmente PRECISA saber sobre você. 
  2. Coisas que a sua audiência NÃO pode saber sobre você.
  3. Em especial, coisas que você quer que sua audiência SUPONHA sobre você.

Um exemplo é criar na cabeça da sua audiência que você é tecnológico. Isso não quer dizer que você use as mais avançadas tecnologias, mas vai demonstrar que a sua entrega condiz com o que a audiência procura.

Dentro dessa lista, uma das coisas mais importantes é pensar no seu modelo de negócio.

O modelo de negócio é composto por uma lógica de entrega e captura de valor por parte de uma organização.

Essa lógica de entrega e captura de valor eu muito carinhosamente chamo de círculo virtuoso de valor. 

Outro exemplo: se você está com fome e não teve tempo de preparar sua própria comida, vai a um lugar chamado restaurante e paga para uma refeição.  Qual é o círculo virtuoso de valor? Uma parte tem fome, a outra entrega comida. Você paga por essa comida e sacia a sua fome, a outra parte pega o dinheiro. Isso é um círculo virtuoso de valor.

Eu sei que uma analogia assim deixa tudo extremamente simples, mas reflita: 

Quando se trata do seu negócio você está conseguindo traduzir de uma forma simples e clara o que está desenvolvendo?

Muitas vezes, a gente passa anos pensando no projeto, com tudo muito claro na cabeça e alinhado com nosso DNA, mas simplesmente esquecemos de contar para as pessoas como aquilo funciona, dá dinheiro e, principalmente, como vão utilizar.

Então é de extrema importância que a sua audiência sinta que usar o seu produto e conhecê-lo é fácil.

2 – Arme-se

E aqui não estou falando de nada ilegal.

Outra dica que considero muito válida é utilizar ferramentas de priorização na hora de criar uma lista ou até mesmo para redigir um pitch. 

Uma das que eu mais gosto é uma ferramenta chamada MoSCoW, que categoriza as informações em:

  • Must have: o que tem que falar
  • Should have: o que deve falar
  • Could have: o que poderia falar
  • Won’t have: o que não pode falar

Trabalhando essa ferramenta e dividindo o conteúdo nestas quatro etapas, você vai conseguir definir com profundidade tudo que você precisa dizer.

Também aconselho todo empreendedor a usar uma técnica chamada 5W2H, que propõe a seguinte segmentação das informações sobre o negócio ou projeto:

  • O que (What?)
  • Por que (Why?)
  • Quem (Who?)
  • Onde (Where?)
  • Como (How?)
  • Quanto custa (How much?)

Se você consegue responder essas perguntas com detalhes, a sua audiência vai conseguir compreender o que você quer dizer.

Mas lembre-se: sempre foque no propósito!

O porquê você faz algo é muito mais importante do que como faz ou onde seu cliente vai encontrá-lo.

Vou exemplificar: se você desenvolve um app sobre dados estatísticos e pesquisas internas e possui alguém no seu time extremamente estratégico e especializado na área, como um doutorando nos Estados Unidos em matemática estratégica com profundo conhecimento nessa área. Sim, essa pessoa entra no seu por que e nunca no quem, pois ela faz parte do seu propósito, um diferencial do seu negócio, completamente diferente de todos os seus possíveis concorrentes, certamente.

3 – Desburocratize

E, por último, a última dica é um reforço ao propósito através de uma característica que considero super importante: ser simples!

Eu tenho um propósito especial: em tudo que eu falo, faço, desenvolvo e crio, tento ser simples.

Quanto mais faço isso sou mais admirado pela minha audiência.

Então seja simples para ser incrível. 

giphy

Depois dessas dicas, é só arrasar no pitch e correr pro abraço!

Troféu do Oscar
Pin
Copy link