A afirmação parece óbvia, afinal, ninguém gosta de ficar falando sozinho. Mas em algum momento, querendo ou não, você já desperdiçou seu tempo numa situação assim:

Você está num bar e começa a contar uma experiência que viveu. Depois de alguns minutos, percebe que a maioria das pessoas na mesa já parou de ouvir o que você dizia. 

Com sorte, das 10 pessoas ali, uma ou duas continuam interessadas em ouvir o que você tem a dizer e conversar com você. É uma situação constrangedora, mas comum para qualquer pessoa. 

O problema é que muitas marcas passam por isso diariamente.

Em suas redes sociais, falam para centenas de seguidores, impulsionam publicações para atingir milhares de pessoas, mas não conversam diretamente com ninguém. 

E isso significa perda de tempo e desperdício de investimento com marketing. 

Nós não queremos isso e nem você.

Por isso, preparamos cinco passos para você não errar ao conversar com seu público. São passos básicos, que você pode começar a aplicar na sua estratégia de vendas assim que chegar ao fim do texto, começando hoje mesmo.

5 passos básicos para acertar na comunicação com seu público-alvo

1) Conheça o seu público de verdade

Muitas marcas acreditam que conversar com o máximo de pessoas é a melhor maneira de alcançar possíveis clientes interessados no seu produto ou serviço.

Mas fazer uma comunicação tão abrangente, na verdade, faz com que ela seja tão genérica que ninguém se identifique com o que você diz.

Então, como definir o público-alvo?

Imagina que você oferece curso online de inglês para adultos.

Para definir o público-alvo você precisa saber a faixa-etária, o gênero predominante, onde essas pessoas vivem, entender os objetivos profissionais e pessoais.

Você pode fazer isso encaminhando um formulário online por e-mail, solicitando informações na hora da compra do curso, deixando uma pesquisa à disposição em um popup na tela inicial do seu site ou ainda, encaminhando um e-mail marketing pós-compras.

Dá para usar até as redes sociais nessa hora.

2) Identifique os diferentes perfis dentro do seu público-alvo

Depois de identificar seu público-alvo com o passo acima, você tem informações para trabalhar: por exemplo, com base em sua pesquisa, você identificou que seu público são mulheres e homens de 25 a 35 anos, pós-graduados, que recebem entre R$ 2.500 e R$ 4.000.

Agora, é hora de segmentar esse público, explorando e entendendo as características e hábitos que são relevantes para o seu negócio. Por exemplo:

Na faixa etária dos 25 a 29 anos, você terá mulheres e homens que concluíram a pós-graduação recentemente, são solteiros, valorizam sair com os amigos e buscam em um curso de inglês a proficiência necessária para fazer cursos internacionais e alcançar um bom cargo na empresa ideal.

Na faixa etária dos 30 a 35 anos, são mulheres e homens que começaram a construir família, são recém-casados e valorizam a estabilidade financeira. Buscam um curso de inglês corporativo que auxilie a alcançar metas profissionais para que eles sejam mais reconhecidos nas empresas em que trabalham.

Percebe a diferença?

Agora sim, é hora de falar com cada um deles, ou melhor, sobre o assunto que cada um deles quer saber.

3) Utilize comunicação personalizada

A esta altura, tudo começa a ficar mais fácil.

Você já sabe quem é seu público-alvo, já identificou perfis e entende os interesses distintos e as expectativas em relação ao seu produto.

Sabendo tudo isso, é hora de personalizar a comunicação de acordo com quem e o que você quer comunicar.

Lembrando que a comunicação ocorre em vários pontos de contato com a sua marca:

  • Nas redes sociais, como Instagram, com anúncios segmentados para perfis específicos.
  • Em canais como o LinkedIn, cujo o tom de voz é mais sério e profissional.
  • Diretamente no e-mail, onde você pode chamar as pessoas pelo nome – mas sem ser invasivo.

Explore as possibilidades oferecidas por cada canal sem esquecer de usar a linguagem adequada para cada um deles.

4) Não apareça somente nas datas comemorativas e aniversários

Tá aí um erro praticado por muitas marcas que a sua empresa não vai querer cometer.

Você com certeza se lembra de alguma marca que, vez ou outra, mais precisamente no seu aniversário, Natal, dia das mães e dos pais aparece com descontos imperdíveis de 15%, não é?

Aparecer esporadicamente, sabendo tantas informações sobre o seu cliente, é perder a oportunidade de criar proximidade, incentivar a compra recorrente e fixar no imaginário dos seus clientes como uma marca que oferece valor.

Seguimos com exemplos:

Nossa escola de inglês fictícia pode criar uma comunicação direta por e-mail para os possíveis alunos interessados em receber dicas para aprender inglês online, orientações para estudar melhor em casa e, claro, um desconto para aqueles que se inscreverem (gerando uma lista de leads) para receber essas dicas semanais.

Note como o valor percebido muda.

Você explora ainda mais um canal no qual sabe exatamente o que as pessoas que se inscreveram estão esperando.

5) Aproveite melhor os materiais

Com todas essas dicas, ficou mais fácil concentrar os esforços, conteúdos e ações para alcançar as pessoas que realmente querem conversar com a sua marca.

Agora você pode explorar vários formatos de materiais, otimizar linguagem de acordo com os canais que sua audiência está e testar os conteúdos que o seu público-alvo mais gosta de consumir.

Com todas essas ideias em mente, você já pode, a partir de agora, observar se a sua marca está praticando essa dicas.

Se não está, é hora de começar!

Se você quer ir além, produzir conteúdos relevantes e aparecer nos primeiros resultados do Google, atraindo mais visitantes para o seu site, inscreva-se para receber mais dicas sobre produção de conteúdos otimizados para SEO.

Quer saber como colocar seu site na primeira página do Google?
Tempo é dinheiro
Pin
Copy link